blog

A TRAGÉDIA DE MAcBETH

Macbeth uma história antiga e sempre tão presente na humanidade.

General Macbeth, volta de uma guerra vitoriosa, recebe uma profecia de três bruxas que eventualmente se tornará rei. Seu amigo Banquo também recebe uma profecia de que ele será pai de uma linha de reis. Ele é inicialmente cético, mas logo começa a receber aspirações de se tornar rei, e ai a ganância, a culpa, e a traição entram em ação. 

Várias são as vezes que este filme foi interpretado no cinema e no teatro, em vários países!

Mas aqui nosso assunto é a Direção de Fotografia.

A Tragédia de Macbeth é uma produção aonde a fotografia anda de mãos dadas com o texto e a interpretação! 

Tantas cenas por comentar, mas aqui sem spoilers…

Para mim a cena do sangue que pinga lentamente, em um contraste perfeito de luz e sombra, um sangue escuro, que também remete ao sombrio a culpa que aumenta, a cada gota…o close nesta imagem, faz a união de cor, enquadramento e luz.

A culpa é algo profundo na alma humana, e isto é traduzido na dualidade da luz, a claridade em seu rosto e a sombra da aceitação do erro no escuro…

Cenas iniciais em volto a névoa bem iluminada, que ofusca o futuro, o incerto e até a dúvida e clareza sobre a interpretação da profecia das bruxas, que estão no escuro ou sombreado…

Algumas cenas são de mais, e falo somente na direção de fotografia, o trabalho da fotografia com a luz, transitando por todos os níveis de claro e escuro, mas sempre com contrastes fortes, mostrando as angústias causadas pela traição e ganância. 

A cena em Macbeth encontra-se completamente no escuro e ele caminha para um circulo iluminado, e a tomada alta, o mostra como se tivesse em um poço.

Os olhos iluminados de Lady Macbeth, em fim, até aqui é o meu preferido no quesito Direção de Fotografia.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Shape

Você também vai gostar de ler